CEO ou DEO? Seis características que definem um DEO

No recém lançado livro das autoras Maria Giudice e Christopher Ireland, Rise of the DEO – Leadership by Design, além de vários insights sobre criatividade e inovação, você encontra uma definição muito boa de liderança para os tempos atuais, inspirada em características típicas do mundo do design.

51WOLvu9U9LRecomendo a leitura para profissionais da área e para gestores das mais diversas áreas e formações. O design como agente de transformação – seja de coisas, produtos, serviços, experiências, empresas, modelos de negócio – é uma área do conhecimento que pode contribuir e muito em tempos onde a necessidade de mudança acontece em uma velocidade cada vez maior.

Mas quem é o DEO – Design Executive Officer?

Aqui uma tradução livre das características de um DEO:

1. São agentes da transformação

DEOs não se assustam com mudanças, muito pelo contrário, as promovem e encorajam. Eles entendem abordagens tradicionais, mas não são dominados por elas. Como resultado, naturalmente desordenam o status quo se este se interpõe no caminho de seu sonho. Eles tentam pensar e agir de forma diferente dos outros. E reconhecem esta habilidade como vantagem competitiva.

2. Assumem riscos

DEOs abraçam o risco como parte inerente da vida e ingrediente chave da criatividade. Ao invés de evitá-lo ou mitigá-lo, procuram lidar com ele como uma das variáveis que podem ser controladas. Reformulam o risco como experimentação e convidam à colaboração. Um fracasso, ainda assim, produz aprendizado.

3. Pensadores sistêmicos

Apesar de seu desejo de desordenar e assumir riscos, DEOs são pensadores sistêmicos que entendem as interconexões de seu mundo. Eles sabem que cada parte de uma organização se conecta e influencia outra. Sabem que conexões invisíveis envolvem aquelas visíveis. Isto ajuda a dar às suas disrrupções o impacto pretendido e fazem com que assumam riscos de forma mais consciente.

4. São intuitivos

DEOs são altamente intuitivos, tanto por natureza quanto por experiência. Eles tem a habilidade de sentir o que está certo, utilizando sua intensa percepção e observação ou por profundo expertise. O que não quer dizer que eles tenham medo dos números. Eles sabem que tomar decisões mais intuitivas não impede uma alálise lógica e racional. Na verdade eles usam ambas abordagens, e consideram cada uma delas válida e poderosa.

5. Possuem um tipo de “inteligência social”

DEOs tem uma alta inteligência social. Institivamente conectam-se com outros e integram-os dentro de redes bem definidas e acessíveis. Eles preferem gastar seu tempo com funcionários, clientes e mesmo estranhos, a gastá-lo com planilhas, equipamentos e instalações. As pessoas do dia a dia são uma fonte de energia, novas ideias e renovação.

6. Fazem acontecer – GDS – em inglês “Gets Shit Done

Finalmente, DEOs podem ser definidos pelas iniciais GSD – abreviação para “gets shit done” – Fazem acontecer. Eles tem aquela urgência de se envolver pessoalmente, entender os detalhes pela própria interação, e liderar pelo exemplo. DEOs fazem as coisas acontecerem.[/stag_one_half_last]

Espero que perdoem as licenças que tomei de tradução. Aqui os textos originais http://riseofthedeo.com/. No livro, cada uma destas características é detalhada, e os aspectos de colaboração e equipe também são muito bem analisados.

Vale também uma olhada no blog do livro: http://riseofthedeo.com/blog

E claro, o link caso queira adquirir o livro na Amazon (sim tem versão para o Kindle)