A revolução na educação é outra coisa

Numa matéria da Época Negócios deste mês, uma pesquisa avaliou os sites que oferecem, de graça, o conteúdo de faculdades renomadas e concluiu que os cursos online foram reprovados. O ponto levantado, e basicamente o argumento que se utiliza em geral para desqualificar o movimento dos MOOCs, é o da grande evasão dos alunos neste formato de aprendizagem. Muitos começam os cursos mas poucos terminam. Logo, este formato tão alardeado como sendo a grande revolução na educação é ineficaz. Quem pensa desta forma, não só a Época Negócios, realmente não entendeu nada sobre o que os MOOCs representam, ou como se dará a tal revolução na educação.
illustratortutorial72Venho conversado sobre este ponto com diversos profissionais e especialistas em educação online e preciso sempre rebater este argumento. Vamos lá, é uma questão de perspectiva. De mudar a forma como vemos a educação. Não são os cursos online que ensinam, ou os conteúdos das escolas renomadas, ou os professores showmans, ou as plataformas de ensino, ou as metodologias de aprendizagem. Estas coisas todas são importantes, mas elas não garantem nada. O ponto chave está do outro lado. São as pessoas que aprendem. Motivados pela necessidade, desejo ou curiosidade.

A revolução na educação portanto tem dois lados: um que é o da tecnologia, da possibilidade de aprender através de uma conexão de internet, num curso online, numa plataforma educacional digital; e outro cultural, do gosto pelo aprendizado, de tomar para si o controle da sua formação e educação, de se tornar protagonista – elemento ativo, e não passivo – neste processo, de ver valor e significado para buscar uma melhor formação.

Destes dois lados já temos o primeiro. E se você já fez um curso online, chegou ao final, viu valor e significado nos conhecimentos que adquiriu e os colocou em prática, você está fazendo a tal revolução na educação.

Uma história para ilustrar este argumento: Scott Young e o MIT Challenge

Em setembro de 2012 um jovem americano completou o currilulum de 4 anos do curso de Ciências da Computação do MIT, sem ter assistido a uma única aula, e num período 4 vezes menor – apenas em 1 ano. Conheça melhor a história aqui. Ele documentou todo o processo em vídeos. Também discutiu num AMA do Reddit como completou o desafio.

E neste vídeo ele conta como foi este ano de estudo e dá 3 dicas de como potencializar o processo de aprendizagem online:

– Estabeleça um objetivo de aprendizagem específico,
– Monte seu próprio curriculum,
– Divulgue e compartilhe seu objetivo e como pretende realizá-lo.

Photo by Richard Lee