VR em projetos de Edtech

“Feche os olhos, e imagine que você está em uma praia deserta. Você ouve o barulho das ondas quebrando, das gaivotas, do vento nas folhas dos coqueiros. Você vê o sol se pondo lentamente…”

Imagine que esta experiência de imaginação pode ser vivenciada de olhos abertos. Pense um pouco a respeito disso… Este é o tamanho do que vem por ai com os dispositivos de VR que chegam ao mercado em 2016. Rift, Samsung Gear VR, Cardboard, Playstation VR, HTC Vive, e vem mais por ai (algumas empresas não vão ficar de fora, podem ter certeza). Sua aplicação na educação é irresistível.

Introdução de uma nova tecnologia

A primeira coisa importante de se ressaltar é que esta tecnologia, que já existe a algum tempo, vai chegar ao mercado (de massa) este ano. É um ano de entendimento da tecnologia. De aprendizagem de utilização. De ver a resposta dos usuários. E começar o processo de iteração.

Portanto, não vai ser esse boom imediato. É o começo dele. A introdução da tecnologia. Ela precisa ser popularizada, exaustivamente utilizada e eventualmente melhorada. Para subir na curva de adoção de uma nova tecnologia é necessário investimento e tempo. Para por em perspectiva, o primeiro iPhone foi lançado em 2007. O Youtube é de 2005. 10 anos para termos Netflix como temos hoje.

img2

Sua utilização em Edtech

Existem diversas tecnologias para entrega de conteúdo. Cada uma tem suas características e objetivos. Uma mensagem instantânea. Um vídeo de 8 minutos. Um curso online de 1 hora de duração. Um documentário de 2 horas. Um livro de 500 páginas. E existem diversas metodologias para utilização destes materiais. Quando falamos de VR, ainda precisamos entender, aprender a utilizar, testar, enfim, precisamos passar por todo o processo de amadurecimento deste formato.

Porém, algumas características de seu formato e tecnologia já podem ser destacadas. Projetos inovadores utilizando VR para educação devem ser avaliados sobre estes três diferenciais:

Untitled-2

Imersão quase presencial

A principal característica é a de imersão na  situação, seja ela uma história, um ambiente virtual 3D, um vídeo 360 interativo, de forma realista, quase presencial.

1

Diferentes pontos de vista

Este formato também permite abordar um assunto sob diferentes pontos de vista de forma dinâmica.

3

Narrativas múltiplas

Este é um formato que permite narrar diversas histórias ao mesmo tempo com desenvoltura.

Além do Edtech

Sim, eu quero ver jogos do meu time na primeira fila, ou no camarote. Assistir concertos, espetáculos de dança, teatro, música, da área vip. Melhor, de cima do palco. No meio da cena. Quero ter a sensação de estar em Los Santos. Quero andar na superfície de marte ao lado da curiosity. Explorar a ISS. Quero ver o pôr do sol todos os dias de uma praia deserta na Austrália.

Alguns casos interessantes já podem ser citados, como a utilização do Playstation VR pela Nasa para simular interações na ISS, o projeto Expeditions do Google, as matérias especiais do The New York Times – que distribuiu Cardboards para seus assinantes, e a transmissão ao vivo de um jogo da NBA em VR.

Até a próxima!

Foto por Kãrlis Dãmbrans

CC by 2.0 –  Alguns direitos reservados

Tags: